sexta-feira, 2 de julho de 2010

#RangoCamp: petit gateau de pequi

O prato montado por Chef a Porter e clicado por Gabi Butcher

Pois é. Tô há muito sem postar. Isso porque estou as voltas com a produça do novo layout desse cafofo amigo. Mas decidi voltar porque não é justo ficar guardando pro corpo tudo que tenho feito (tá rolando tanta coisa legal). E minha alma de repórter prefere morrer a não reportar. Então bora falar do RangoCamp.

Pra quem não sabe o RangoCamp é um guéri-guéri que junta blogueiros de comida em torno do que eles mais gostam: comida! É uma verdadeira suruba gastronômica. Todo mundo cozinha e todo mundo come. A primeira edição rolou no domingo, 27/06, e foi fodástico de bom. Um dia inteiro cozinhando com gente querida e comendo coisas gostosas. Pra complatar teve degustação de brejas e de cachaça. Coisa linda!

Minha contribuição na cozinha foi uma combinação que, a princípio, só fazia sentido na minha cabeça. E no fim das contas até que agradou a geral. Inspirada pelo petit gateu de tomate da Morena Leite que eu já apresentei aqui pra vocês eu inventei o petit gateau de pequi (que eu também já falei aqui). Como eu só tenho cara de boba, um dia antes do convescote de comilança eu fiz um teste na minha cozinha. E deu super certo.

E como eu tenho mania de escolher o sapato e depois encaixar a roupa, primeiro defini o acompanhamento e só depois pensei no principal. O resultado foi: petit gateau de pequi, com mexidão de almôndega de linguiça de frango e farofinha de pinhão. E mais uma vez, algo que só fazia sentido na minha cabeça doente, deu certo!
Mas vamos por parte. Primeiro apresentarei o pequeno gato. Depois mando o resto das receitas. Já falei muito.

Ingredientes petit gateau
300 g purê de pequi (tem lá no mercadão ou em qualquer supermercado de respeito em Goiás)
150 g manteiga
5 gemas
10 claras
150 g farinha de trigo
1 pitada de sal


Preparo
Misturar o purê de pequi com a gema e adicionar a manteiga derretida (temperatura ambiente). Acrescentar aos poucos a farinha de trigo peneirada e, por último, juntar gentilmente as claras batidas em neve. Mexer até a mistura se tornar homogênea. Distribuir a massa em forminhas untadas com manteiga e farinha, levar ao forno a 200º por 5 a 7 minutos. O tempo no forno é o mais importante. Se assar muito, vira um bolo e a ideia é ficar aquele creminho por dentro. Juro que fica bão.

Se bem faço, melhor como, bjos. Foto da Dirlene D'Addio

Mais fotos do Rangocamp no flicker da Gabi

4 comentários:

Dirlene D'Addio disse...

Vou tentar fazer esta delícia!!

Cãmi disse...

eu quero!!!!!!!!!!!!!

Lígia disse...

Não é justo!!!Tem que fazer aqui em Rio Verde!!!Beijos!!!Amo muiiiiito isso!!

Leo Gonçalves disse...

A primeira farofa de pinhão que comi na vida. E olha que agora alguem vai ter que se puxar muito se quiser superar a primeira impressão. Fantástica.